Moradores de Jundiapeba reclamam do descarte irregular de lixo no distrito, em Mogi

Segundo eles, problema começou depois que área foi desapropriada no distrito.

Prefeitura informou que vai realizar a limpeza do local.

Moradores reclamam do descarte irregular dos lixo no distrito de Jundiapeba, em Mogi das Cruzes Moradores do distrito de Jundiapeba, em Mogi das Cruzes, reclamam que após um processo de desapropriação, terrenos e ruas do distrito estão cheias de materiais por causa do descarte irregular de lixo.

A situação é mais intensa na rua Manoel de Freitas Garcia.

O líder comunitário Edson Luiz dos Santos Augusto diz que nem mesmo a placa de proibido jogar lixo inibe as pessoas.

Ele procurou ajuda na administração municipal, mas não resolveu.

"Sempre a mesma palavra, de que a gente vai resolver, mas só que ninguém resolve o problema e fica só na promessa.

Eu pretendo entrar com uma ação no Ministério Público para resolver o problema", diz.

Além de muito entulho e até móveis jogados pelo local, a quantidade de lixo doméstico e até roupas chama a atenção.

Os moradores do bairro dizem que a situação é antiga.

"Já fizeram a manutenção tem uns dois anos, e voltou a se repetir.

Quebraram a cerca.

Para passar de carro aqui não tem como passar de dois carros, porque tem as crianças e as pessoas para passando aqui.

Junta muito rato, cobra, essas coisas", diz o frentista David da Silva Cavalcente.

De acordo com alguns moradores, hoje o terreno pertence à Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

Segundo eles, o problema começou quando o estado entrou com um processo de desapropriação de terrenos no bairro e , com os lugares vazios e largados, a maioria virou lugar para despejo irregular de lixo. "Esse terreno é de propriedade da Cetesb, inclusive tem a parte ao lado em que foram destruídas as casas, tem mato e entulho, e a Cetesb não faz nada.

Eu queria que fizesse aqui como faz com os prédios, para a população tivesse um local para jogar o entulho.

Aqui a gente carro de Sorocaba, Santo André, que nem é do bairro, jogando entulho aqui", diz o líder comunitário.

A mesma situação a gente encontra em vários pontos de Jundiapeba.

Na avenida José Antonio de Mello o problema é parecido.

Com o lixo tomando todo espaço da calçada o morador Palmieri Carforo tenta, com muita dificuldade, caminhar na rua e sabe que parte da culpa é dos próprios moradores, mas acredita que a administração regional poderia fazer alguma coisa. "Nessa calçada não dá para andar numa boa, está cheio de lixo.

É muito difícil de andar.

Eu acho que tem que colocar uma caçamba para o pessoal jogar lixo", pontua o morador.

A Secretaria de Serviços Urbanos de Mogi informou que inseriu o serviço na programação.

Funcionários vão entrar na rua Manoel de Freitas Garcia com maquinário, para uma limpeza mais completa na via. Segundo a secretaria, a prefeitura possui equipes encarregadas diariamente pela retirada de lixo e entulho, mas lembra que esse trabalho só vai surtir os efeitos desejados com a colaboração da comunidade, ao abandonar a prática e com denúncias.

Além de conscientizar a população, a administração lembra que possui coleta regular de lixo, operação cata-tranqueira e também os Ecopontos, destinados exatamente para o descarte e encaminhamento correto de resíduos.

A produção do Diário TV procurou a Cetesb para saber a posição da companhia e ainda não teve retorno até a publicação dessa matéria.

Denúncias de descarte irregular em Mogi podem ser feitas pelo telefone 153.

Categoria:SP - Mogi das Cruzes e Suzano